Walk This Way… Porto Alegre

Nessa quinta rolou em Porto Alegre aquilo que poderá ser chamado de o show do ano para os gaúchos. Alguns podem pensar que o espetáculo do ano deveria ser o show do Guns, do Metallica e alguma minoria o do Dream Theater (Pô, dizem que o ZZ top foi bala também…). Foram sim ótimos eventos, mas nenhuma delas comparada com a magnífica banda que pousou em solo gaúcho detonando tudo. Sim, você já deve ter adivinhado que me refiro a… Cine!

HAUHAUHAuhahUAhUAHuaa.

Brincadeira.

AEROSMITH


[Wiki] Aerosmith é uma banda de hard rock dos Estados Unidos da América, formada em Boston, Massachusetts no ano de 1970, tendo desfrutado de grande popularidade durante meados da década, final dos anos 1980 e início dos anos 1990. É a banda americana de rock que mais vendeu discos na história,[3] com vendas estimadas em mais de 150 milhões de cópias no mundo inteiro incluindo 66.5 milhões de cópias nos Estados Unidos [4] A banda também tem o recorde de mais álbuns ouro/multi platina por uma banda americana [/Wiki]

As canções comandadas por um dos maiores frontmans do mundo, Steven Tyler e com os Riffs cabulosos e inacreditaveis de Joey Perry movimentaram Porto Alegre. O Aero mostrou para o povo do sul do Brasil que o tempo passa, mas não o talento dos caras. Se o Guns (Leia Axl) perdeu o pique e hoje em dia faz uns 50% do que era o mesmo não acontece com seus irmãos do Hard Rock. O Aerosmith tocou seus grandes clássicos tentando agradar a todos, os conhecedores das baladas pós MTV (Como a música tema de Armagedon) e sons regados ao bom e velho blues como Mama Kin que fez os xiitas do rock abrirem um sorrisão. O evento começou pontual, e logo animou os fãs abrindo com Love in the Elevator. Desse momento para frente foi um dos mais belos espetáculos, só não foi melhor por obstáculos técnicos. Algumas músicas como Jaded, Janie Got a Gun e Angel ficaram de fora. I Don’t Want to a Miss a Thing quase ficou de fora, só foi cantada porque uma aniversariante (Que nem era aniversariante, dizem…) pediu. Tyler ainda tentou convencê-la a ouvir Dream On, mas ela balbuciou algo parecido com IDWTMT. Então Steven atendeu o pedido da moiçola.  Outras músicas que Joey Perry executou na sua guitarra mágica foram Living on the Edge, Pink, Cryin e a ganhadora do Emmy Crazy que foi trilha de muitos beijos apaixonados na noite de quinta-feira em Poa. Um show histórico, sem dúvidas. O resto é resto. Hoje acontece a apresentação em sampa e eu tenho certeza que será outro evento ímpar. Confira alguns momentos do show:

Love an Elevator

Mama Kin (Para mim um dos auges do show)

Livin’ on the Edge

IDWTMTblábláblá

Eu cheguei a ter 2 ingressos para o show de hoje na mão, mas vendi porque não ia poder ir. Na época cheguei a pensar em fazer uma cobertura ao vivo para o TRG por celular, mas não deu. Não me arrependo, pois o motivo foi nobre, mas gostaria muito de ter ido. Espero ter outra chance de assistí-los um dia. Enquanto isso, termino com uma música que diz tudo.

Cryin

Esquisito mesmo só o bigodinho do Joey Perry, hehe.

Toma Rumo Guri!!

Quero saber se comigo você quer vir dancar…

Música. Você certamente sabe o sentido e sensação que essa arte dos sons e canções provoca no seu âmago, ou seja, no cerne de sua alma, na mais profunda e escondida parte de seu ser onde você alimenta fantasias, guarda amores, lembranças e nostalgias. Cada pessoa é diferente, e cada qual traz as coisas mais imprevistas e impensadasdentro de si… E a música traz para fora tudo isso, como uma onda de sensações e descobrimentos. Tá, o blábláblá é só para por um vídeo contendo a canção Dan Dan da banda  Zard, que nada mais é que a música de abertura de DragonBall GT. Eu sei, você pode estar pensando que é mais uma nerdice minha (Também é), mas na verdade tem um intuito um pouco maior e mais elevado. Além de mostrar para vocês a origem e autoria dessa linda canção (Alias a Zard tem muita música bacanuda), comentar a falta que grandes pessoas fazem, como é o caso da Izumi Sakai. Esse lindo rostinho e essa bonita voz ficam agora só na lembranças dos fãs pois ela foi fazer parte de algum coro sobrenaturalmente fora de nossa capacidade de enxergar. A história é um pouco triste, uma das maiores cantoras nipônicas foi acometida de câncer de mama e entre indas e vindas do hospital no tratamento buscando sua cura escorregou de uma escadaria e teve traumatismo crâniano. Essa é a versão oficial, mas há quem cogite suicidio. Seja como for é algo bem triste e inesperado um ponto final numa vida aparentemente tão jovem. E há toda uma comoção dos fãs que foi algo bem forte. Também há uma aurea criada por ela ter aparecido para grande público na TV apenas umas 6 vezes, criando todo um mistério em volta de sua pessoa. Também há o menos falado lado dela ter feito trabalhos eróticos antes, mas isso não tem muita coisa documentada e nem fui atrás, sendo que o lado mais importante é a de cantora carismática e de potente voz, mas não é do meu feitio omitir as coisas.
Já faz um tempinho da morte dela, e eu me pergunto o que abreviou tanto sua vida. Teria sido mesmo suicidio? Será que mesmo as “grandes estrelas” sentem um vazio no peito e mesmo por mais cercadas e aduladas sentem-se vazias? Seria apenas um acidente trágico? As pessoas tem que aproveitar seu tempo e semear a vida de o máximo de coisas boas para quando for embora ter deixado sua marquinha em corações? Cometemos erros, mas esses poderão nos impedir de aprender? Que moral tem essa história, afinal?
Sinceramente não sei, só sei que Deus sabe o que faz e espero que essa mocinha tenha sido feliz no tempinho que brilhou por aqui. E agora sua música acalanta corações como no caso da abertura do GT, música linda que é o que salva a fase horrivel do GT. Linda mesmo. Vale a pena ouvir um pouco mais de Zard.

Vou te amar por toda a minha vida, vem comigo por esse caminho,
me dê a mao pra fugir dessa terrivel escuridão…

Se existissem esferas do dragão mesmo, hein?

Toma Rumo Guri!!

Feliz dia das maes 2010 =)

Pois é, mãe é assim. Sempre sabe quando você está fingindo estar doente para não ir para escola só olhando para nossa barra de energia cheia. =Pp O ruim é quando ela vai reclamar para a diretora que o Zanguief tá roubando teu dinheiro para o lanche.

Por essas e outras que desejo um feliz dia das mães a todas mães (Nerds ou não), e um especial feliz todo dia é seu para minha amada e querida mãezinha. Te amo, minha heroina favorita! =**

Nem vem, gente. Sou durão. u.u

Toma Rumo Guri!!

Street Fighter – Legacy

Esqueçam o Van Damme (Sério, única coisa que prestou dele foi o Grande Dragão Branco…), e contemplem nesse vídeo o que deveria ter sido o filme do Street Fighter. Segue um pouco a lógica do fantástico Street Fighter V (V de Victory, a animação japonesa que passava nas manhãs de domingo nas boas épocas do SBT), Ryu e Ken travando uma batalha em um campo japônes (Tá, eu acho que é… =p) com direito a os HadoShoryukens flamejantes do Ken e o Hadouken poderoso do cara da faixa vermelha. Sem esquecer o detalhe da sobrancelha do Ken Masters (Eterno player 2), que é mais um motivo convicente que o vídeo foi inspirado na animação japa. Pelo que parece é um curta (Bem curto, mas bacanudo) feito por fãs, mas parace legal demais e muito bem produzido para ser só isso. Assistam e vejam o que acham. Se quiserem comentar dando sua opinião já sabem é 2,50 por parágrafo, fiquem a vontade.

Indo ao encontro do mais forte…

Toma Rumo Guri!! Hadouken!!