Coluna da Lois #3

             Saudações.


               Estavam com saudades? Recebi dezenas de cartas de fãs aqui na redação perguntando se eu estava bem e o porquê do meu repentino sumiço. Cartas muito fofas por sinal: “Lois, volte a escrever”,  “Te amamos, querida” e “KD VC PERIGUETE”, essa última me instigou a buscar no Google Translate a tradução e não gostei muito, mas sei que esses translatores (É assim que fala?) nunca traduzem direito. Também notei que começo a ganhar mais fama aqui nesse terceiro mundo. Alguns passaram a me chamar de “Débora Secco americana que sabe ler”. Fofos!
             Antes de qualquer coisa um recadinho: Minha coluna, “Minha vida longe do Superman”, passa a ser publicada nos sábados. Claro que se eu me esbaldar na sexta-feira com o Jorjão (No tempo certo falarei dele) posso vir a ser publicada tardiamente no domingo. Sabem também como é jornal brasileiro, né? Posso falar isso? Enfim…
            Amigas e amigos, estava ausente das páginas impressas desse jornal de embalar fruta de feira porque recebi uma notificação judicial do meu ex-marido, Clark. O sujeito afirma que me sustentou a vida inteira e que deveria ficar com meus bens e pertences. Tive que comparecer em reuniões chatíssimas onde fui chamada de – tentar reproduzir no vocábulo de vocês – “Quenga de Metrópolis”, onde ele me acusou de além de ser mimada que traía ele com o Superman!! Puto (Estive em Portugal também), esse canalha consegue ser desprezívelmente sem caráter e só não conto um segredinho dele porque acho que o mundo precisa de uma certa identidade secreta…
         Perdi tudo que tinha e agora mais que nunca me apoio nessa oportunidade obtida nesse país de terceiro mundo. Aliás sabe como vocês são chamados por lá? Não é nem terceiro mundo, é fim de mundo, ri muito disso, lol. Riam comigo, crianças… 
        Bom, dito o que havia de ser esclarecido quero comentar do meu novo amigo, Jorjão. Ele é carioca, faz o tipo de homem de meia idade, usa um bigodinho ridículo e manda muito bem no Kuduro. Ele trabalha de zelador no meu prédio e tem me feito muito bem. Rimos muito quando contei pra ele que tive um amante que usava a cueca por cima da calça e que usava um penteado pega-rapaz. Lol!! Ele me chama de “Pistoleira” e estamos nos dando bem. Ele tem uma certa malandragem que me fascina, não tem fraquezas estupidas por nenhum minério e o principal: Nunca foi escoteiro!! Ufa, ainda bem…
       Era isso por hoje, pessoal. Estou convicta que para esquecermos nossos fantasmas devemos enfrentá-los de pé e vou estar batendo ponto aqui nesse espaço reconstruindo minha vida e fazendo muito mais do que já fiz um dia. Darei a volta por cima e quando olhar para o horizonte não verei um S e isso me faz muito feliz pois não serei processada pelas famílias Siegel e Shuster…

      Beijos de sua amiga de todas as horas, Lois Lane!

 
Coluna Anterior da Lois Lane AQUI.

Continuem
acompanhando a coluna semanal da Lois Lane em terras brazucas num jornal
fictício – Que por coincídencia tem o mesmo nome de um jornal de
verdade do Rio Grande do Sul que tem capas como ESSA,
mas que em momento nenhum me influenciou em nada. Lembrando que isso é
um blog de humor e por isso não deve ser levado muito a sério. Fora
isso para quem não souber, a foto da garota que encarna o papel de Lois
nesses posts é a atriz Amy Adams que está escalada – Pelo diretor?! –
para viver no cinema a mocinha por quem o azulão vive babando. Feito
tal comentários só me resta dizer…

        
Toma Rumo Guri!!