Leitura Nerd V – Será que o Lagarto Mama?

E aí, galera que gosta de ler, belezura? Voltamos com o Leitura Nerd, seu passaporte gratuíto para a nostalgia. Aproveite enquanto o prefeito não pode sancionar taxa nisso.

Aproveitando o filme do teioso que está no grande Ecrã, resolvi ler um dos gibis mais antigos que tenho e preparar terreno para o review de amanhã sobre o Espetacular Homem-Aranha x o Lagarto.

Eis os dados da edição:

O Homem-Aranha #3 – 1972
Marvel Comics – Editora Bloch

Remontando as primordiais aventuras do amigo da vizinhança, essa edição nos mostra o primeiro encontro com o Lagarto. O legal é que o vilão não está assombrando os becos de Nova Yorque, mas sim está chafurdando e colocando medo nos coronéis da Florida. O aracnídeo é desafiado pelo Clarim a enfrentar o réptil e se propõe a viajar até os distantes brejos para enfrentar esse novo inimigo. O engraçado e interessante é que todo o estereótipo do Cabeça de Teia está presente desde as mais antigas histórias dele, sendo somente aperfeiçoada com o tempo. Tudo está lá: O bom humor durante a ação (melhor que a do filme), Parker apanhando de todos os lados da vida e a pindaíba que todos nos identificamos com o nosso protagonista. É engraçado que para haver o embate o aracnídeo tem que incentivar o Jameson a bancar sua passagem aérea como repórter do Clarim, como seu alter-ego, é claro. Conhecemos então o dr. Connors já transtornado e na pele verde e escamosa do Lagarto em ação e só depois conhecemos sua história e sua família. Aliás isso é algo que não consta no filme, um background mais embasado para o cientista, ele nem família tem. Pelo menos não aparece. O Lagarto como vilão não é lá essas coisas embora seja um dos poucos que em habilidades manuais seja páreo pro Homem-Aranha. Seja como for, é sempre o velho chavão “vou transformar todo mundo em réptil”. Mas é bom ver um dos poucos vilões que sempre tem sua redenção, e o vemos com aquela velha fórmula de quando o escalador de parede mais querido dos USA usa seus conhecimentos biológicos e faz um antídoto pra trazer Connors para junto de sua família. Chavão ou não, essa era a primeira história e é inspiradora pra muitas outras que viriam, o cientista inclusive tem papel importante em outros eventos do herói como Guerras Secretas. Bem legal. Minha nota para esse clássico dos quadrinhos é nota 82. Gostei e vale a pena uma leitura descontraída para ver como tudo começou… Para a família Connors, haha. Vamos ao ranking:

Comics

 #1 – Hulk #38 – 90
#2 – O Homem Aranha #146 – 87
#3 –  Grandes Encontros Marvel & DC #3Batman vs O incrível Hulk – 75
#4 – Dylan Dog #12 – 72

Mangás

#1 – Yu Yu Hakushô #1 – 94 

E agora me digam: Será que o lagarto mama? Hauahuahuhahua.

Toma Rumo Guri!!