Papo Nerd – Anão Hreidmar e a origem de o Hobbit(?)

E aí, galera? Beleza de Creuza? Rsrs.

Essa semana nem tem muita coisa para discutir. É fim de ano e as notícias nerds rareiam. Mesmo assim vim dividir com vocês um conto de um livro que estou lendo que me lembrou muito o Hobbit de Tolkien. É sabido que o mestre dos escritores medievais bebeu da mitologia nórdica com muito gosto como se fosse um chifre de hidromel, porém cada vez que você mais se aprofunda no conhecimento do panteão de deuses da Escandinava mais você nota a importância e as peças para toda essa literatura criada que temos da Terra-Média. Inclusive, baseada em Midgard, um dos 9 mundos.

Mas como disse me chamou a atenção a história do anão Hreidmar que em certa feita recebeu em sua casa como hóspedes nada menos que Odin, Loki e Honir. Só que o deus brincalhão (Às vezes confundido com maldoso) vestia a pele de uma lontra (algumas versões trazem fuinha, outras doninha) que pela manhã ele havia matado com uma pedrada na beira de um riacho e vestido sua pele como casaco. Só o que ele não poderia saber é que o tal bichinho abatido era filho (que pescava metamorfoseado) desse velho senhor anão que ao ver sua prole abatida e sem vida apontou suas armas (e a de seus outros 2 filhos: Fafninr e Regin) para as entidades e ameaçou-lhes a vida. Odin mandou que Loki desse seu jeito, afinal se comoveu do pobre anão e já que ele só bebia o néctar dos deuses era fácil apontar o dedo, e o trapaceiro comprometeu-se de ir até os reinos dos anões arranjar ouro o suficiente para forrar o couro da lontra morta por completo.
Loki enfrentou frio e fome e quando chegou ao seu destino resolveu parar para tentar apanhar comida. Nisso capturou um peixe que muito se debatia. Ao tentar empalá-lo com uma lança o bicho falou. Era mais um anão com seu truque de pesca, esse tentava fazer amizade com os nadadores, por certo, haha.
Então Loki lhe impôs a condição de que só o libertaria em troca de uma quantidade enorme de ouro. O anão que era o mais rico de todos, graças a um artefato, sem saída alguma topou o acordo. O deus forrou um carrinho de mão improvisado e encheu com muitas moedas de ouro. MUITAS MESMO. Tanto que a casa do anão ficou mais espaçosa a ponto de enxergar um quadro que lhe lembrava que tesouro algum faria ele deixar-se dominar pelo ouro. Loki também levou um anel, o Andvari, que continha uma maldição, apesar de ter o poder de encontrar mais ouro.
Loki deu para Odin o anel e o resto do tesouro para o pai do anão morto ao regressar para a casa de Hreidmar. Odin ficou impressionado com aquele artefato tão reluzente, mas o anão exigiu o anel para quitar totalmente a dívida provocada pelos deuses. Sem saída o líder do panteão nórdico se desfez do item. Ao irem embora os filhos do anão começaram a desejar o anel tanto quanto o pai que os expulsava da sala para contar o ouro em três partes. Ninguém mais lembrava de Ótr morto. Fafninr tomado pelo desejo mata seu pai e foge com a carroça de ouro no qual a peça de mais importância para ele é o tal anel. Anos depois o irmão descobre que Fafninr havia se transformado em um dragão que vigiava seu incontável tesouro.
Esse anel tem mais aparições na história intitulada O Anel de Níbelungo do qual certamente Tolkien inspirou o seu Um-Anel, porém nesse pequeno conto eu identifico bastante o próprio livro do Hobbit no qual Hreidmar assim como Thorin é tomado pela ganância (ainda que no livro de Tolkien o rei sob a montanha tenha seus direitos legítimos) e o seu filho com toda certeza tenha sido a primeira encarnação de Smaug na literatura através desse mito. Com certeza Tolkien é genial porque bebia em uma fonte que não ficava atrás na qualidade dos enredos ainda que sem regra muito rígida e nem sempre bem trabalhada na sua escrita. Porém as histórias são muito bem feitas, a maioria, e são embasadas em muito humor embora haja uma certa desconfiança no resgate por um cristão. Enfim, essa é outra história e farei uma resenha do livro por completo depois.
Bom, por hoje era só. Desejo a todos um bom natal (com ênfase nas coisas bonitas e no seu significado) e uma excelente entrada de ano.

Toma Rumo Guri!!

Papo Nerd – Scarlet, Aranhas e Animextreme – 04/05/2014

E aí, mancebos? BeleUza de Creuza? Ótimo!

Essa semana teve muita coisa acontecendo pelo mundo nerd. E estou, como todo bom cdf, estudando pra caramba. Tenho alguns concursos que estou estudando, também estou me dedicando a tanta coisa paralela. Blender, inglês (afinal fim de mês vamos tentar o visto para ver se vamos para a San Diego Comic-Con) e é tanta coisa que até a Programação e meus livros ficaram meio que escanteados. Inclusive o TRG ficou um pouco ocioso e os últimos posts tinham a ver com carnaval e é o Tchan. Por mais que eu meio que me arrependa de posts tão inúteis, embora ainda assim humor, não quero apagá-los porque esse lugar sempre foi para eu postar as coisas que aconteciam no mundo gigantesco e sem limites da internet. Algo atemporal, pode até ser que apague, mas até hoje nunca apaguei nenhum. Enfim, deixem-me comentar o que rolou essa semana pela grande rede (física ou digital).

SCARLET NUA.

Ah, sim. Um marco no cotidiano nerd. É antes disso e depois. Um divisor de águas onanístico. A moçoila topou gravar uma cena de nu frontal em seu novo filme para alegria dos mãos peludas, só que isso gerou um #mimimi gigante nos barzinhos virtuais desse mundão descampado chamado internet. Minha opinião é de que as fotos vazadas dela tem um valor mais significativo, embora totalmente errado do ponto de vista penal. Porém esteticamente é uma foto mais agradável cujas luzes contribuíram muito mais em prol do corpo dos sonhos dos nerds do que aquele sombreado avermelhado e aquela peruquinha coco que ela mostra na película. Mesmo assim ela se mostra em forma e mostra novamente que as mulheres bonitas são as que tem curvas e não aquelas magricelas. Só achei o peitinho meio que caído, mas né? =Pp

CAPITA E CABEÇA DE TEIA.

Rolou altas tretas com a estreia do filme do amigo da vizinhança, o Homem-Aranha. Surgiram facções prol Tobey “Toba” Maguire e os fanzocas do Garfield (não o gato). Fomentou-se uma guerrinha a la biscoito X bolacha cujo alvo era qual era o Homem-Aranha mais exitoso do cinema. Na minha opinião os dois são uns bostinhas. Ambos, atores ou saga tanto faz, tem acertos e erros, mas nenhum deles me convenceu a entrar na história ou que eram a encarnação do personagem cujo tenho em minhas prateleiras mais de 100 histórias em gibis daqui ou importados (inclusive da morte da Gwen no original). Enfim, acho que o Aranha pode muito mais do que a Sony tem sido capaz de apresentar. Próximo!

ANIMEXTREME, JOVEM NERD, ZANGADO E SITES NERDS.

Esse fim de semana cobri para o TRG a 20ª edição do AnimeXtreme, o maior evento do tema nerd do RS e o 3º do Brasil atualmente. É uma pena que não tenham cedido 2 acessos como geralmente TODOS os eventos (Comic-Con-RS, Festival de Gramado, YouPix, etc) o fazem para que possamos fazer nosso fantástico trabalho de cobertura. Mesmo assim estive presente na FIERGS onde aconteceu o evento e foi cansativo e exitoso ao mesmo tempo. Bati um papo, alguns gravados outros não, com o Jovem Nerd, Azaghâl, Zangado e alguns outros. Cito esses porque são pessoas que acompanho o trabalho. Não tenho muito o lado de “tiete”, gosto deles porque respeito o material e a forma de conteúdo e porque faz parte do meu trabalho pro TRG correr atrás de uma palavra ou de outra. Essa semana colocarei o review com texto e fotos e para o próximo domingo tentarei por no ar o Pankeka Show, nosso videocast a la Amauri JR Nerd, hehe. Foram entrevistas rápidas onde em alguns casos só deu para falar algumas coisas amenas e no caso do Zangado cujo ele nos deu uma entrevista exclusiva eu não soube muito o que perguntar (essa mania de desenvolver as coisas apenas em minha cabeça, acabei esquecendo o que ia perguntar), mesmo assim valeu a correria. Fiz amizades com muita gente no evento e novamente penso em ativar (morfar!) uma liga de sites de cultura-pop aqui no RS. Enfim, vi muita gente chorando, rindo, fazendo de tudo nesse evento. E ah, também tenho uma exclusiva do Jovem Nerd. 😉

De mais eu quero agradecer um cabelereiro que estragou meu cabelo e me deixou com um penteado emo. HUAhUahAuahuahau, FDP, enfim…

TOMA RUMO GURI!! 

Papo Nerd 5 – Fim de Lost, de Tomb Raider e da babaquice do dia da toalha…

E aí jovens. Tudo em riba? I hope so…

Essa semana teve bastante coisa no corrido dia a dia de um cara que tenta manter seu site o mais divertido e ideocrático mesmo nas atribuladas barreiras temporística do dia a dia, huhu…

Em suma… Foi uma semana difícil porque a minha peguete em tempo integral ficou doentinha. Porém tudo certo, ela está bem e eu posso lhes contar coisas boas para esse domingo, início de semana e fim de outra.

Finalmente terminei Tomb Raider, o novo. Vai rolar um review, e peço desculpas pois lhes devo bastante deles, mas já posso dar uma prévia do que achei: Excelente! Poucos jogos conseguem a diversão desse jogo e praticamente nenhum, com exceções homéricas, tende a originalidade e fuga da enfadice (de enfadonho, saca? =Pp) como o poessoal da Square Enix conseguiu para esse game. Pena que ela está mal das pernas e possivelmente não vejamos uma sequência. Mas enfim, chega disso que o review será o lugar para apontar os erros e acertos.

Posso contar-lhes um segredo? Ontem ( e início de madrugada de hoje) quase três anos do último episódio exibido assisti Lost, o episódio The End. O fim da grand season. E foi bem legal. Assistia na época que passava, mas a última temporada por um querer do destino ficou para trás. E olha que eu era daqueles que baixava logo que saíam e gostava dos debates. Enfim, quis o destino que vísse com a Mah e foi bem legal. Assistimos tudo desde o início e foi bom rever os velhos amigos. E também me despedir deles. O final? Bem, não é tão ruim quanto falam, mas podia ter sido melhor. Eu com certeza faria melhor, huhu. Podiam ter feito algo de universos paralelos, física quântica e eletromagnetismo, mas decidiram pela simplicidade. Enfim (2) muitos mistérios pra trás até torna tudo mais divertido com exceção de alguns furos. Mas com certeza é a série dos anos 2000 que mais teve impacto e com certeza marcou sua época. Sentirei saudades de James Ford, Kate, Desmond, Hugo, Jack, Ben e companhia. Vincent! Haha, bem, até uma próxima, Losties. É sempre difícil dizer adeus para bons amigos, seja em jogos ou em boas séries. Aliás eu fiz uma temporada inteira comentada, mas víamos muito mais do que conseguia escrever detalhadamente, agora não sei se continuo essa coluna. Veremos, mas deixem vossa opinião.

Aliás como eu falei no assunto anterior fisica quântica tem muito a ver com universos paralelos. Separei um documentário da inglesa BBC (Ótimos programas) sobre o assunto. Aliás a luz no centro da ilha podia muito bem ser Fótons vindo de uma dose maciça de eletromagnetismo o qual daria os poderes da ilha. Mas pensem também que muito mais plausível outros universos pra série do que o xalalá que virou. Enfim… Taí o vídeo:

Por último, e sim menos importante, queria fazer um desabafo: Essa semana teve a semana do dia nerd, dia da toalha e o escambal. Beleza, é um dia de alegria pros fãs de cultura pop, afinal é aniversário do Douglas Adams, mesmo que póstumo. Mas galera, tá virando babaquice. O aniversário do cara é legal de lembrar, agora fazer todo santo ano flash mob só pra ganhar coisas na blogosfera, se dizer nerd porque levou a toalha de rosto de seu pai para a escola ou parecer um retardado no Face não é orgulho, é vergonha. Como bons nerds que dizem que são tentem não ser instrumentos de manipulação dos grandes blogueiros e comemorem lendo o livro, postando um pedaço da obra no seu Face ou em última instância produza um conteúdo original e diga: EU TENHO ORGULHO DE SER NERD PORQUE EU SOU NERD! Tá bom, gafanhotos? Então tá padawans, tudo certo.

Uma boa semana a todos.

Toma Rumo Guri!!

Papo Nerd 4 – Páscoa

E aí, galera que gosta dos ovinhos e de cenoura, huhu, tudo bom?

Quero comentar com vocês algumas coisitas, não muitas, mas mesmo assim consideravelmente algumas. O Papo Nerd diferente de muitas outras colunas é um canal direto pra papear sem ter um assunto específico. É um jeito de contar o que ando jogando ou dar conselhos de boas séries, ah, o escambal. Sendo assim quero hoje comentar algumas coisas que julgo importante que está se passando por aqui…

Primeiro: FELIZ PÁSCOA. Tenho muitas boas recordações dessa data, da família reunida e de comer muito chocolate. Como também sempre fui criado em uma igreja era sempre lembrado sobre a importância desse dia. E realmente o significado se perdeu entre a ganância comercial de venda de chocolate. Porém isso aqui não vai ser um papo chato, nem socialista, nem religioso. O certo é que é um tempo legal para refletir na vida. Eu olho pra trás olhando tantas coisas boas que vive com certa nostalgia e olho pra frente e vejo que não estou fazendo nada diferente. Não no contexto pelo menos, talvez só na forma. Isso ao meu ver é muito bom, pois não se muda a essência. Vejo hoje em dia tanta gente mudando simplesmente porque a sociedade lhe exige mais seriedade sendo que é tão melhor ser sempre criança. Lhes digo isso porque nessa páscoa comi um Lollo. Sim, um simples chocolate da Nestlé como qualquer outro. Mas eu comia ele na minha infância e isso faz muito tempo. Quando se transformou em Milkybar ele perdeu o sabor e também de certa forma um carinho que tinhammos por ele. E foi muito bom relembrar o gosto, o cheiro e bem, tudo que veio com ele. Nostalgia de uma infância que não morreu, apenas se renova de arcos em arcos. Como se o chocolate da Vaquinha servisse pra mostrar que dá saudades de certas coisas que passaram lá atrás, mas que os valores que dou pra elas é o mesmo. Enfim, nostalgia é bom para aqueles que dão valor. Dê valor para cada coisa e pessoa que você tem de especial. É uma boa mensagem de Páscoa. E também não esqueça que não é o chocolate. Há mais ou menos 2000 anos um cara muito bacana morreu pela raça mais escrota do universo e verteu seu sangue para que nos tornassemos brothers dele, do Cara lá de cima. E que não foi Goku, nem o Superman, mas Jesus que venceu a morte. Isso é muito legal, pois morrer por amigos e família muitos fariam, mas dar a vida por um inimigo, quem faria? Enfim, é uma mensagem bonita então por que esquecê-la?

Também queria dizer que to jogando Tomb Raider (esse novo) e to me amarrando. É viciante. Enfim, hoje cheguei a escrever o review dele, mas quero terminá-lo e ver se faço ele no Pankeka Games ou em uma coluna de Reviews. Vou pensar nisso. Lara tá hot, huhu…

Não sei o que fazer com Lost. Estou vendo uma temporada inteira em um fim de semana, o que dificulta comentá-los na coluna semanal Também vou pensar a respeito.

 E as colunas estão saindo direitinho acho. Uma ou outra posso pular, mas tão indo em frente. To trabalhando e estudando muito e infelizmente não me sobre muito tempo pra fazer o que realmente gosto. Não é engraçado? A única coisa que tem dado pra fazer do que gosto é ver coisas legais com a namorada como Lost. Já agradeço por isso, mas fiquem na torcida pra que chova tempo. Ah, to tentando escrever um novo romance, mas tá difícil pelo mesmo problema de relógio. Pelo menos um livro de contos eu fiz. Mas quero substituir algumas coisas. Bem, no mais é isso e deixo-vos uma tirinha antiga de Páscoa que fiz algum tempo atrás. Inté…

Toma Rumo Guri!!

Papo Nerd – Ei, voltamos…

Sim, hoje não é domingo. Quase o é, mas ainda não chega a ser. Fazem menos de 2 meses que eu não posto aqui, mesmo assim foi um recesso meio triste. Não sei bem o que me fez parar de escrever. Sempre gostei muito de estar aqui, mas ultimamente meus planos artisticos tem falhado miseravelmente. Porém não sou uma pessoa que desiste fácil das coisas (de nenhuma delas) por isso cá estou entre vocês meu amigos dos quais nem o rosto vejo, mas que agradeço por compartilharem comigo o mais íntimo de meu ser: Minhas palavras.

Continuem conosco (e espero não parar de novo).

Toma Rumo Guri!!

Papo Nerd 3

Boa noite! (Leia com o sotaque do Bóris)

Como vão amiguénhos? Tudo em riba?
Poxa, o tempo voa, e quase não dá pra lidar com o tempo quando se gosta de jogar videogame, ver filmes, seriados, programas, ler livros e gibis… Nossa a vida de nerd é muito corrida. O bom é que é muito divertida. Estou jogando ainda Silent Hill (pego só os sábados de madrugada para desfrutá-lo e foi um alívio sair da escola após ouvir aquela sirene. Fora isso também estou me divertindo pacas com o Alex no Prototype 1, falta pouco pro fim e não entendo como muita gente não gosta dele. Até sei que algumas coisas são repetitivas, mas o jogo é muito bom, recomendo! Também estou lendo Zona Morta do Stephen King e caramba, como aquele senhor escreve bem, mesmo livros não-terror. Ainda não li todo pra indicar, mas to curtindo muito até agora. A @Bezer_rinha gostou do jogo Lollipop ChainSaw, eu achei um pouco interessante, mas só pilharia a jogar para ver pernocas, portanto não pretendo jogá-lo, não tão cedo. 
Outra coisa: Voltei esa semana a tentar escrever meus projetos de livro e talz, e engraçado como hoje não saiu nada que preste, não que eu consiga identificar. Tive que parar então, amanhã talvez me inspire mais. Engraçado como escrever pro TRG é algo mais orgânico, faço a tanto tempo e com tanto prazer que eu o controlo como se fosse um membro do corpo. Bem, disso tiro o aprendizado que quanto mais fazemos uma coisa melhor nos tornamos, então não desista daquilo que você acha que é bom só porque nem sempre dá certo, nem sempre estamos no nosso ápice inspirativo e isso me lembra que Stephen muitas vezes é criticado por escrever comercialmente, mas isso é explicado por prática e insistência.
Bom, por hoje é isso, talvez o Papo Nerd não tenha sido o que você procurava mas o objetivo dele é bem isso, ser um papo informal entre nerds de carteirinha. Abraços galáticos.



Toma Rumo Guri!!

Papo Nerd 2

 Bem vindos a mais um Papo Nerd. Uma conversa sincera que só vai agradar aqueles que tem a mente mergulhada em cultura pop e que por ventura não se importam quando um post não é feito apenas de imagem. Vamos ao assunto de hoje:

Silent Hill, uma cidade muito louca (Sessão da Tarde Feelings)

Seguinte, estou jogando o Silent Hill 1, aquele mesmo pra PSOne, cheio de imperfeições, mas assustadoramente tenebroso. Ainda mais pra mim, que confesso aqui sempre fui meio cagão. Não tenho medo de filmes e muito menos de histórias pra boi dormir, porém quando o assunto é games o bicho pega. Se você não é gamer não vai me entender, agora se você já pilotou algum personagem pixelado vai entender que você constrói um mundo a sua volta, se teletransporta para o mundo proposto pelo game design e que você começa (se bem feito) a entender as motivações e até mesmo sentir a tensão na linha de história contada e vivenciada. Agora então você imagina quando é um bom e velho estilo survival horror como SH. Eu quando piá não costumava nem mesmo a me aventurar a jogar Resident Evil sem chamar o vizinho pra jogar junto, um artifício usado inúmeras vezes para jogar tais jogos. Minha mente sempre foi muito imaginativa e se imergisse num mundo daqueles seria difícil sair assim tão fácil.
Pois então recentemente resolvi jogar novamente um jogo que na época não entendia muito bem mais entendia seu valor. Acompanhava críticas excelentes (lembro de ver no Multishow um pedaço de um detonado e até seu lançamento na E3 com o Lucas Silva e Silva, huhu), mas tinha um certo receio de experimentar grandes doses de terror bruto. Enfim, fui crescendo e lendo Stephen King, Alan Poe e Lovecraft e jogando games mais aterrorizantes – tipo Superman 64 Haha, sacaniei! – como RE5, Fear e esses jogos de zumbis na luz do dia que acho meio galhofa e vi bons filmes que são tantos que nem vale a pena citar apenas um. O medo (ou cagonice, chamem como quiser) começava a ceder e então fiquei com vontade de jogar essa franquia ainda mais que tinha uns jogos novos (Downspour e o HD Collection que você pode comprar clicando nos nomes =Pp) chegando e então peguei pra assistir o filme.
Uma coisa engraçada é que na minha cabeça eu já tinha assistido o filme, mas ao ver o dvd notei que tinha assistido Mtville, sabe se lá porque confundi, haha. Ah, não ia citar nenhum filme mas lembrei que eu tiha medo de a Profecia quando criança, haha. Enfim, cof, cof… Ao assistir o filme lembrei do que conhecia do SH por todas revistas (Tipo Ação Games contextualizada) e achei bem fidedigno a obra dos consoles. Porém aquele final era esquisito, e muita coisa também no filme ficou com uma sensação de uma lacuna de informações faltavam ali. Então resolvi visitar essa cidade para ver o que estava sendo escondido atrás dela, sim, como o personagem me vi enredado a desvendar os segredos de Silent Hill. E amigos… Tudo é muito sombrio.
Começo falando que diferente de qualquer jogo que havia experimentado nenhum deles me deixou com a sensação desconfortável de que se aquilo fosse real não deveria estar ali. Em RE você pensa: Sou um policial fodão e são homens sobre experimentos de uma empresa com nome de música da Rihana. Porém SH te dá a sensação de que tudo é perigoso, de que tudo faz mal e você então grita a todo momento em pensamento (até no filme): “Você é burro?? Não entre aí!!!”

Os elementos criados para o jogo e começado no maestral SH1 são armas perfeitas para o desconforto. Uma névoa que deveria esconder imperfeições de tecnologia avançada parecia esconder de você segredos de uma cidade maligna. O rádio que você se acha capta a presença de forças do mal e lhe alerta que um inimogo pode aparecer de qualquer lugar em meio àquela falta de claridade. Seres mutilados, brutalidade sem limites e histórias macabras que você não entende nem 5% quando começa completam o clima nefasto. Porém com certeza o que mais dá medo é aquela droga de sirene e o mundo entrando em uma sintonia de outro level. Se o rádio lhe dá medo, a sirene e a escuridão que toma conta daquela cidade fantasma são de gelar qualquer cidadão. Apesar disso você segue em frente porque quer saber o que há por trás daquilo tudo, o medo é uma outra faceta da curiosidade, sem os 2 elementos nenhum filme de terror sobreviveria. Save points quase inexistentes lhe dão uma aflição de ter que entrar naquela escola ou hospital novamente.

 
 Recomendo os 3 primeiros games da série e até o filme, são horas de entretenimento e cagaço. Um dia ainda entenderei porque as pessoas pagam para levar sustos, mesmo que sejam todos eles sobrecontrole.
Esse post poderia estar no Pankeka Games (talvez estejam), mas achei legal comentar com vocês por aqui. E vocês, o que acham de SH? Vamos debater aqui nossas teorias.

Toma Rumo Guri!!

Spoiler: Só clique em continuar se você já viu o filme. Eu avisei.

Okay, o filme tem um final esquisito, embora leve. A Bezerra Negra acha que todos estão mortos por isso que os jogos sempre começam com um acidente na estrada (os principais jogos), já eu tenho a seguinte teoria: Como Alessa foi queimada e viveu uma vida tortuosa no porão de um hospital e tinha poderes psíquicos dividindo sua alma em 2, assim como a cidade que foi repartida em 3 (além da normal temos a alternativa e a macabra), Alessa trouxe Cherryl para conseguir juntar-se e com issoela e a mãe foram trazidas para as 2 Silent Hill criadas por toda maldade daquele lugar e atos nefastos, sendo assim Silent Hill de Alessa é um lugar além de nossa dimensão Cherryl e sua mãe ficaram na SH2, a intermediária. Sei lá, não lembro, mas acho que Alessa não morreu então a qualquer momento elas podem ouvir uma sirene e… Ixi, é bom serem boas garotas. Aliás, SH2, o filme é sobre a 3ª edição e é em cima de Cherryl, será que teremos respostas nele? Uuuuuuuu…

Papo Nerd 1

Cowabanga, Bazinga, Vida longa e próspera… Okay, você sabe de cor e salteado as frases do mundo nerd. Mas será que isso realmente o faz um nerd? Pense bem… E embarque comigo nesses papos dominicais sobre conversas realmente nerds.

O Papo de Nerd de hoje é sobre Os Vingadores. Tá, É e Não É. Acompanha. u.u

Quando saiu o filme dOs Vingadores muita gente achou demais, a começar pelos membros da imprensa especializada gringa que de certa forma contagiou todo mundo. Quando os fãs e demais pessoas viram a película houve um racha que quero destacar aqui. Pessoas exaltaram o filme envernizando-o com notas acima de 9.9 e outras acharam o fime simplório demais. Tem gente como eu também que amou todo o contexto, e viu e reviu o filme se divertindo pacas, mas que esperava muito mais. E aí que entra meu assunto jovem aprendiz de Homem-Aranha, a vida é mais complexa e profunda que os gargomilhos da Sasha Grey. A vida é um violino de 11 cordas. Se você gostou, parabéns, tem um espiríto aventureiro e ama comédias. Se não achou tudo isso ou se foi mais como eu, do tipo fã chato, parabéns também, mostrou que sabe o que quer. O que eu quero registrar aqui é que meus heróis favoritos viraram modinha. Sim, no mesmo nível dos odiosos Harry Potter e Crepusculo que apesar de não gostar e até avacalhar respeito quem ache que vale a pena vê-lo. No mesmo nível desses filmes fãs fervorosos tem se levantado, e veja bem, fãs posers que nunca pegaram em um gibi  Acham-se porém no direito de colocar os heróis da Marvel versão película em um patamar intocável e acham que são os guardiões das imagens desses. Como diria o Pato Dolan:

“PFV PATATEX!”

O MDM tem uma expressão para quem gosta das cenas de efeito, o MASSAVÉIO. Tipo o chute do Batman na boca do Superman. Essas coisas que servem para vender revista, pessoas facilmente ludibriadas. Pois bem, Os Vingadores estreiaram com êxito total e tenho visto Procuradores da Boa Moral repreender quem critica qualquer ponto do filme. C’mon, mesmo as críticas apontando falhas razoáveis. Afonso Solano e Carlos Merigo apontaram mais pontos desfavoraveis do que positivos e foram vaiados. Li no Twitter Laura Buu falando que quem não gostou do filme é mal amado e muita coisa mais vi pela blogosfera e pela net inteira como o Samuel L. Jackson suscitando uma legião contra um crítico.

Tenho muito medo que agora que Os Vingadores atravessaram a fronteira do gosto popular e nisso ressalto a dos fãs medíocres, aqueles que não sabem praticamente nada mas sentem o poder de revindicar os direitos de algo que não lhes cabe e nunca foi seu, nortearem o rumo do caminho desses heróis que sempre foram divertidos porque escondiam-se do véu da ignorância da mente não nerd. Não quero ver meninas com fotos do Thor desnudo, do Hulk de pelúcia ou de pessoas me falando para não ter um senso crítico sobre aquilo que exatamente eu sei muito bem. Assim como não falo do que não sei como HP e vampirada marota e me resumo a assumir apenas o papel de opositor deixem quem sabe fazer suas próprias criticas. Enfim, sem mais. Larguem fora enquanto é tempo.

Toma Rumo Guri!!